Assista o vídeo sobre a incrível história de Maria Montessori https://www.youtube.com/watch?v=9D_iBzEqtlo

Falando sobre o método Montessori...

Liberdade e disciplina como faces de uma mesma moeda. Era assim que a médica e educadora, Maria Tecla Artemisia Montessori, enxergava o processo de educação de crianças. A italiana que ficou conhecida pelo método que leva o seu próprio nome – Método Montessori – acreditava na liberdade com limites, na autonomia das crianças e no respeito ao desenvolvimento delas, sem muita interferência dos professores.

Maria Montessori nasceu em agosto de 1870 em Chiaravalle, na Itália, e, em 1896, se tornou uma das primeiras mulheres médicas do seu país. Seu interesse pela educação infantil começou por causa de um trabalho que ela desenvolvia na clínica da universidade com crianças com necessidades especiais. Mais tarde, em 1907, Montessori também criaria a Casa dei Bambini, espaço educacional que atendia crianças pobres em Roma. Foi a partir de suas observações nessa casa que a educadora desenvolveu seu método, que hoje é usado em escolas públicas e particulares do mundo inteiro.

O que é o método Montessori?

Ele parte do princípio de que o processo educativo se desenvolve de acordo com a evolução da criança. Uma das formas de se resumir o conceito de Montessori é dizer que, em seu método, a criança está no centro. Ela tem autonomia, liberdade com limites e seu desenvolvimento natural é respeitado, em um espaço que seja confortável e familiar e sem grandes interferências dos adultos. A figura do adulto nesse método é de suporte à criança. Ele não impõe o aprendizado, mas ampara a criança no seu processo de auto-educação.

Pilares do método Montessoriano:

Para Montessori, o desenvolvimento acontece em fases, que são chamadas de Planos de Desenvolvimento. A cada plano, as crianças buscam um novo patamar de independência em relação aos adultos. Nos concentremos no primeiro plano de desenvolvimento da criança.

Primeiro Plano do Desenvolvimento (0 a 6 anos). Nesta primeira fase da vida, as crianças têm dois grandes objetivos: aprender como o mundo funciona, para saber como funcionar no mundo, e adquirir independência física em relação ao adulto. A independência física, outro pilar deste primeiro momento do desenvolvimento, pode ser resumida em uma frase, dita pelas crianças: “Me ajuda a fazer sozinho”. Elas querem aprender, mas não querem que os adultos façam as coisas para elas. Querem fazer. É pela ação que elas se constroem e se transformam. As crianças enfrentam as dificuldades e os fracassos das primeiras tentativas e insistem até o sucesso e o aprendizado. Montessori dizia que nunca devemos interromper uma criança em alguma coisa que ela acredita que consegue fazer sozinha, não importa quão lento seja o seu progresso. Conforme fazem coisas cada vez mais difíceis, as crianças dominam o mundo mais próximo de si, começam a ansiar pelo mundo desconhecido, e aí chegam à fase seguinte.

Destacando alguns princípios do método Montessori...

Autoeducação: Montessori, a partir da observação do comportamento das crianças em liberdade, chegou à ideia radical de que as crianças são capazes de aprender sozinhas. A ideia é que a criança pode aprender por conta própria e, por isso, deve ter liberdade para isso, independente de quantas vezes ela precise repetir um exercício ou tarefa. Para aprender sozinha, a criança precisa ter a oportunidade de (1) ver outras pessoas, adultos ou crianças, fazendo as coisas; (2) ter a oportunidade de experimentar, tentar, testar, sem ajuda e sem ser interrompida; (3) ter a chance de perceber os próprios erros e os corrigir espontaneamente; (4) superar pequenas dificuldades, uma de cada vez, em um ritmo particular e diferente para cada aprendizado.

Ambiente Preparado: Para o método Montessori, liberdade é algo muito importante. A criança deve ter uma liberdade que é biológica, porque deixa a vida se desenvolver. Existem algumas condições para que o ambiente dê liberdade à criança. A primeira é que tudo o que é importante seja acessível. Primeiro, o mais básico: a criança precisa ter uma forma de beber água, comer, usar o banheiro e dormir, sem precisar de autorização ou de ajuda do adulto de forma que o mundo deve ser preparado para ela. Ou a gente abaixa as coisas, como se faz na escola montessoriana, onde tudo fica à altura dos pequenos, ou disponíbilizamos material adequado para que a criança possa acessar as coisas que não podem ser adaptadas, como a pia de casa, por exemplo.

Adulto Preparado: É possivel definir como um adulto preparado aquele que é “um observador que confia na criança e busca nos atos dela as indicações de suas necessidades”. Ele não é o guia do aprendizado da criança, mas um acompanhante. Ele permite que a criança explore e aprenda sozinha e colabora o mínimo que puder para não interferir na sua auto-educação, ou seja, nunca ajuda mais do que o mínimo necessário. Sua presença deve ser sentida pela criança, mas apenas posta á prova, caso seja necessária. 

Criança Equilibrada: Criança equilibrada é uma criança que está em pleno desenvolvimento natural. Isso é possível quando ela encontra o ambiente e o adulto preparados para lhe dar essa autonomia que precisa para aprender. Uma criança equilibrada é cheia de iniciativa, curiosa, independente, generosa, esforçada e, portanto, feliz. Quando as crianças são bem pequenas, seu pensamento e suas ações andam juntos. Mente e corpo, ou, nas palavras de Montessori, vontade e ação. Por isso, não devemos impedir que subam escadas, ou as ajudemos quando vão abrir uma gaveta, interrompemos quando elas passam tempo demais lavando as mãos. Isso, aos poucos, produz uma separação entre a vontade, que fica na escada, querendo subir, e a ação, que fica na frente da televisão, assistindo um desenho, porque foi lá que nós achamos seguro colocar a criança.

Referências: 

https://www.melhorescola.com.br/artigos/metodo-montessori-veja-a-historia-e-os-principios-do-metodo-de-ensino

https://larmontessori.com/o-metodo/

https://www.infoescola.com/pedagogia/metodo-montessoriano/

https://novaescola.org.br/conteudo/459/medica-valorizou-aluno